Jogador conversou com o Esports Brasil sobre a nova fase, além de indicar os desejos por trás d’O Plano

Um dos jogadores mais conhecidos do cenário nacional de CS:GO é Vito “kNg” Giuseppe. Independente de polêmicas nas carreiras, o jogador tem uma personalidade ativa, além de habilidade dentro dos servidores, que sempre o diferenciou. Tem muita gente por aí que colocou o nome dele em suas paredes.

Não à toa, quando anunciou O Plano, uma organização de lifestyle, kNG fez barulho e gerou muita curiosidade na comunidade. Afinal, quais seriam os próximos passos do jogador, que não encontrou o sucesso de outras eras no momento atual da carreira? Para contar sobre O Plano, kNg conversou com o Esports Brasil. Confira.

Muito maior que o kNg

kNg é antigo na cena de CS, mas enveredou por um campo novo em sua carreira, que é o lado empreendedor. Para conseguir desenvolver o plano d’O Plano (perdão pelo trocadilho), o jogador teve que se cercar de pessoas qualificadas. Entretanto, a maturidade que ganhou com o passar dos anos o ajudou em certas decisões, como por exemplo, o nome.

“Eu tinha a ideia de fazer, onde aqui seria O Plano, o kNg Corp. Esse projeto já estava ocorrendo em paralelo a minha própria carreira, só que não era eu que geria. E a partir do momento que a gente fechou com uma outra organização, continuou o kNg Corp.

E, após isso, nós demos uma nova roupagem, trocou de kNg Corp para O Plano. A gente via que essa mudança fazia sentido, já que O Plano (time) tinha, em tese, acabado. E a gente viu que seria uma parada muito maior do que ser kNg Corp, ser O Plano. Porque agrega muito mais ao cenário e também me desvincula um pouco dessa linha de “kNg, kNg”. Então não fazia muito sentido, por exemplo, se eu estiver em baixa, a empresa estar em baixa. Então a gente desvinculou esse nome e colocamos O Plano.”

Contar histórias além do CS:GO

Foto: Reprodução/Twitter

Se, em 2021, O Plano surgiu como um time de CS:GO que contava com seis pro players, além do técnico, o projeto de 2022 é totalmente diferente. kNg pontua que quer agregar ao cenário e quer furar a bolha do CS:GO, ainda que este seja, sim, o primeiro foco d’O Plano enquanto organização.

Cara, a gente quer trazer gente para perto. Então sem dúvidas nenhuma, o próximo passo que estamos querendo é, além de chamar mais influenciadores para o Plano, pessoas que possam contar sua história para o mundo o que eles fazem. Obviamente, a gente pegou o cogu e o BTT que são completamente relacionados ao CS, mas a gente também quer abrir para outros influenciadores de outros esports, esportes olímpicos e tudo isso. Mas, obviamente, que nosso próximo foco é o time de CS.

Porém, mesmo com planos de expandir para fora do Counter-Strike, kNg fala que o seu novo lado empreendedor não mudou seu desejo de continuar como jogador profissional de CS:GO. Ele ressalta que, no atual momento, ele não consegue se dedicar da forma necessária para um pro player, o que não pode acontecer se ele voltar a jogar.

“O lado empreendedor tem realmente tirado tempo de minha dedicação no CS. Por enquanto, eu não consigo voltar a me dedicar como gostaria para voltar a jogar. Eu ainda estou analisando tudo que será feito, acredito que ainda tenho essa vontade de dedicação, porque eu sempre me dediquei mais de dez horas por dia para jogar CS. E, se eu for voltar a jogar, eu preciso ter a mesma dedicação para ter um bom resultado. Eu ainda não tenho essa certeza, mas eu acredito que eu vá voltar a jogar sim.”

Aliás, sobre seu retorno ao profissional, kNg pode ter dado spoilers na última semana, ao fazer uma postagem no Twitter, onde fala que “o rei” retornou. Vale ressaltar que a publicação também pode ter feito referência a um fim de contrato com a 00Nation.

Colocar a foto dos outros na parede

Durante sua carreira, kNg sempre se orgulhou de falar que veio de baixo para conquistar sucesso mundial no CS:GO. Para ele, tocar um projeto como O Plano, significa a oportunidade de facilitar para quem queira seguir os mesmos passos que ele.

“Eu vim de um lugar de poucas oportunidades, a luta é muito difícil. Eu consegui fazer com que o CS fosse a minha vida e que pudesse contribuir com tudo isso. Então, para mim, é uma grande vitória, porque há seis anos, eu não tinha capacidade de fazer nenhum tipo de investimento. Eu não tinha capacidade de ajudar alguma pessoa, a não ser pela fala, mas não tinha como ajudar financeiramente. Então, para mim, ter O Plano hoje é uma vitória e uma vitória das maiores que tive na minha vida. Porque eu tenho certeza que vão sair muitos campeões daqui, muitas pessoas que vão fazer história. Aqui eu quero fazer uma fábrica de vencedores.”

Aliás, kNg foi eternizado na comunidade com um dos momentos mais divertidos de torneios presenciais, quando provocou um adversário falando para que ele colocasse a foto de kNg na parede. Se na hora a provocação pareceu sem sentido, hoje, o profissional utiliza como base do que ele almeja com O Plano.

“Eu quero que elas (as pessoas) coloquem suas próprias fotos na parede e que elas façam a diferença, que sejam a diferença. E também que elas entendam que o trabalho, além de dignificar o homem, faz do trabalho a alma, que aí você vai ser bem sucedido no que você faz.”

Filed Under