JhoW da Vivo Keyd é o líder da nova equipe brasileira. Em apenas três meses, eles agora têm a oportunidade de se classificar para o VCT Champions.

As expectativas estavam definidas para que Envy tivesse vida fácil no Grupo B, mas quando a Vivo Keyd apresentou um forte desempenho no Icebox, a Envy sabia que não poderia subestimar o time brasileiro à sua frente. Conhecido como o grupo da vida, a estreia do Grupo B entre Envy e Vivo Keyd foi parelha. E embora a Vivo Keyd tenha perdido sua série de abertura por 2-0 para a Envy, o time brasileiro segue em frente no VCT Masters Berlin com todos os olhares voltados para eles. Ainda assim, há apenas três meses, essa equipe era somente uma ideia à espera de ser criada por Jonathan “JhoW” Glória.

Nesta entrevista, Sage Datuin do esports.gg conversa com o jogador de Valorant, JhoW, para saber como ele formou a Vivo Keyd, como eles seguirão adiante no VCT Masters Berlin e também sobre o apoio da comunidade brasileira.


Quero começar perguntando sobre sua jornada pela Gamelanders como sua primeira equipe de Valorant. Você poderia falar mais a respeito dessa experiência?

JhoW da Keyd: Foi uma experiência muito boa, uma experiência muito positiva por causa dos meus companheiros. Eu os conhecia há muito tempo antes da formação da equipe, então tenho boas memórias e experiências da Gamelanders. Quando eu quis tomar a decisão de mudar para a Keyd, eles apoiaram minha decisão. No geral, é uma experiência positiva, mas estou feliz por estar aqui na Keyd.

Fale comigo a respeito desses três últimos meses com a Keyd. Como isso aconteceu?

JhoW da Keyd: Formar a equipe foi um processo fácil para mim. Quando entre na Keyd, eu tinha uma ideia muito clara do tipo de jogador com quem queria jogar. Dito isso, o primeiro jogador que tinha em mente como obrigatório era o Heat. Com ele na equipe, construímos em torno desse núcleo de dois homens e acho que estamos indo bem em tão pouco tempo. Ainda temos tropeços como equipe, mas isso é esperado. No geral, é uma loucura ver quanto progresso estamos fazendo. Seguindo em frente no VCT Masters Berlin, sinto que podemos realmente resolver algumas dessas questões no evento e chegar às quartas de final.


Em sua partida contra a Envy, houve um período no Jogo 1 durante o Icebox onde vocês poderiam ter finalizado a situação. Como foi a comunicação nessa rodada final?

JhoW da Keyd: Sinceramente, estávamos bem naquela rodada final. Havia muito pouca pressão e estresse do nosso lado. Todo muito foi muito legal. Tínhamos paz de espírito antes de ir para a prorrogação e até mesmo durante a prorrogação. Nosso problema é que a Envy ganhou várias rodadas antes desse momento e estava ganhando mais confiança de que poderia dar a volta por cima. Dito isso, sinto que nossa comunicação foi muito boa. Estou muito orgulhoso de que, mesmo durante uma situação como essa, possamos manter a cabeça no lugar.

Jhow from Vivo keyd
JhoW é responsável pela criação do elenco de Valorant da Vivo Keyd. Agora, ele tem uma boa chance de se classificar para o VCT Champions. Foto: Riot Flickr.

Chegando neste evento, você domina o cenário brasileiro depois de passar muito pouco tempo como uma equipe. Como foi aquela experiência?

Jhow da Keyd: Ser capaz de dominar o Brasil em tão pouco tempo nos deu muita confiança. Seguindo em frente, estamos cientes de que a equipe é muito jovem e está trabalhando para lidar com essa inexperiência. Estamos trabalhando arduamente para corrigir alguns de nossos problemas de forma imediata e eficiente. Em três meses, sinto que estamos realizando muito e estou orgulhoso da ética de trabalho da equipe para fazer isso acontecer. Embora não tenhamos vencido a Envy, nosso torneio ainda não acabou. Chamaremos bastante a atenção na nossa próxima partida e continuaremos mostrando por que as pessoas precisam estar atentas ao Brasil.


Vocês são uma equipe muito agressiva, que se mantém fiel a outros jogos de tiro em primeira pessoa em que o Brasil compete. Vocês têm influências do estilo de jogo brasileiro do CS:GO?

JhoW da Keyd: Eu diria que não existe uma correlação direta entre o CS:GO brasileiro e Valorant. Quando você compara nosso estilo com o da Havan Liberty, por exemplo, eles são muito mais técnicos e voltados para a estratégia. Enquanto isso, somos mais improvisados e contamos com nosso poder de fogo e agressividade como você mencionou. Mesmo assim, nós dois fornecemos um bom espetáculo para a região brasileira e é legal de assistir.

Havan Liberty é a segunda equipe representando o Brasil no VCT Masters Berlin. Foto: Riot Flickr.

Como é ter sempre uma comunidade forte como a brasileira torcendo por você?

Jhow da Keyd: Eu mal consigo descrever em palavras como é isso. É muito gratificante sentir o amor e o apoio. Mesmo assim, nosso crescimento é para nós, nossa equipe, família e amigos. Ter um feedback positivo realmente significa muito para nós, especialmente durante derrotas como esta.


Então, para as próximas partidas neste grupo, você tem algumas palavras finais que deseja compartilhar?

JhoW da Keyd: Ainda não acabou. Vamos manter nosso ânimo elevado para continuar lutando neste evento. Outro objetivo é cometer menos erros como cometemos contra a Envy; Se conseguirmos fazer isso, tenho certeza de que conseguiremos chegar nos playoffs. Gostaria apenas de deixar uma mensagem de agradecimento à minha família e amigos.


Vivo Keyd jogará a partida eliminatória contra a Zeta Division. O vencedor enfrentará o KRU Esports para ver se consegue chegar aos playoffs ao lado da Envy.

Fique ligado em esports.gg para as últimas notícias e atualizações de Valorant.

Traduzido por: Giuseppe Carrino

Sage Datuin - Writer of the Month: June

Sage Datuin

Writer of the Month: June | Twitter: @sagedatuin

Sage been following esports since high school and has remained a massive fan ever since. When he's not working he likes to work out, knit and overthink things..