A MIBR foi eliminada da BLAST Premier Fall Showdown em um confronto apertado contra a Complexity, do brasileiro coldzera.

A MIBR enfrentou a Complexity, de Marcelo “coldzera” David nesta terça-feira (12), em partida válida pela BLAST Premier Fall Showdown 2021. Em Melhor de 3 (MD3) eliminatória, coldzera demonstrou que a lei do ex pode funcionar em outros esportes, que não o futebol.

Vale ressaltar que a equipe brasileira realizou duas mudanças recentes em sua line, contratando na semana passada Adriano “WOOD7” Cerato e Matheus “Tuurtle” Anhaia, da Bravos Gaming, para as vagas de Gustavo “yel” Knittel e Bruno “shz” Martinelli, que foram para o banco de reservas.

Outro detalhe do dia da equipe brasileira foi a desistência da MIBR de partida válida pela REPUBLEAGUE. Isso porque a MD3 contra o time da ECLOT poderia atrasar o início da partida contra a Complexity, o que poderia ocasionar em um W.O na partida da BLAST.

Confira um resumo de como foi o confronto entre MIBR e Complexity.

Ancient

A comunidade do CS:GO diz que a Ancient é mais favorável para o lado CT, mas a MIBR não quis saber disso ao começar do lado de TR. Isso porque a equipe conseguiu o pistol e soube manter o controle durante todo o primeiro half, fechando esta metade em um sonoro 11×4 favorável para os brasileiros.

Do lado CT a Complexity apareceu para jogo sob o comando de Benjamin “blameF Bremer, conseguindo fazer o pistol e trocar rounds. Contudo, a MIBR soube administrar a boa vantagem aberta na primeira metade para punir nos momentos necessários e fechar a Ancient em um 16×11, abrindo a contagem da MD3. Destaque para Raphael “exit” Lacerda, que terminou o mapa com um sonoro 1.42 de rating.

Nuke

A Nuke foi dura para os brasileirinhos, com a Complexity iniciando do lado TR, fazendo o pistol e os dois rounds seguintes. A MIBR dificultou o jogo para a equipe de coldzera, conseguindo trocar rounds, mas esteve atrás do placar durante todo o mapa, com a primeira metade sendo perdida por 8×7.

A segunda metade pareceu a primeira, mas pior ainda pros brasileiros, que perderam os 4 primeiros rounds. Em um round forçado, Adriano “WOOD7” Cerato era o único da MIBR com armamentos e conseguiu trazer um ace/clutch para botar a equipe brasileira de volta no jogo. O clutch do IGL brasileiro deu certo ímpeto para os brasileiros, mas não foi o suficiente. Isso porque a Complexity soube administrar a vantagem construída para fechar a Nuke em um 16×12. Destaque para o australiano Justin “jks” Savage, que finalizou o mapa com um rating de 1.42.

Overpass

A MIBR começou do lado CT na Overpass não conseguindo trocar com a Complexity, que venceu o pistol e os três rounds seguintes para abrir um 4×0. Os brasileiros souberam respirar e, sob o comando de Ricardo “boltz” Prass, entrar no half e conseguir terminar esta metade vencendo por 8×7.

Jogando de TR, os brasileiros mostraram que precisam de mais tempo para trabalhar os rounds pistols e perdeu mais um no início desta metade. Após perder os dois rounds seguintes, a equipe brasileira conseguiu um ponto. Contudo, nos momentos críticos do mapa, os brasileiros perderam rounds em situações apertadas, o que acabou não refletindo no placar. Isso porque a Overpass acabou sendo vencida pela Complexity em um aparentemente tranquilo 16×9.

Filed Under