esports icon

Stay Up to Date with the Latest Esports News!

Email Submitted! Check your inbox for the latest news from Esports.GG
“A gente não conseguiu treinar praticamente nada aqui, porque os treinos são bem várzea”, Modestia sobre FFWS 2022 cover image

“A gente não conseguiu treinar praticamente nada aqui, porque os treinos são bem várzea”, Modestia sobre FFWS 2022

#News

Em entrevista para o site FF Esports, o jogador da Vivo Keyd falou sobre sua experiência no mundial de Free Fire.

A Vivo Keyd finalizou sua campanha no Free Fire Worlds Series 2022 (FFWS) na quarta colocação, enquanto os tailandeses da Attack All Around levantaram a taça do torneio. A VK se classificou para o grande evento através do play-in, uma vez que conquistou o vice-campeonato na LBFF 7, mas desempenhou melhor que a LOUD, time que se qualificou para o mundial de forma direta após o campeonato brasileiro.
Jogadores da Vivo Keyd - Foto: Reprodução/Garena
Jogadores da Vivo Keyd - Foto: Reprodução/Garena
Ao fim da competição, Matheus "Modestia" Henrique concedeu entrevista para o site FF Esports e falou sobre a sua experiência em Sentosa, cidade sede do FFWS desta temporada. Um detalhe que chama a atenção nas falas de Modestia, é a queixa da forma que os times de lá encaravam os treinos. O jogador da VK chegou a afirmar que os treinamentos por lá eram uma várzea.
“A gente não conseguiu treinar praticamente nada aqui, porque os treinos são bem várzea, os times daqui jogam de qualquer jeito e jogam somente entre eles. Os tailandeses, por exemplo, que ficaram com os dois primeiros lugares, conseguem treinar com os times das regiões deles aqui com o ping tranquilo, a gente não - isso é uma vantagem para eles. Passamos a maior parte do tempo fazendo coisas teóricas porque não tínhamos como praticar. Fica de experiência.”
Vale dizer que este foi o primeiro FFWS da equipe, uma vez que durante a temporada da LBFF em que a Vivo Keyd foi campeã, o torneio mundial não aconteceu pelas restrições de saúde em todo o planeta. Sobre o tópico, Modestia falou durante a entrevista como foi importante para ele poder disputar esse mundial e representar o Brasil. Ainda assim, ele ressalta que não está feliz com o resultado que obtiveram e que vão voltar para fazer melhor.
“Para mim, estar em Sentosa é uma coisa surreal, é a realização de um sonho. Eu não imaginava que coisas assim aconteceriam tão rápido na minha vida. Eu sempre quis representar o Brasil e, para mim, isso aqui foi a realização de um sonho. Não estou contente com o resultado, não estou feliz. Mas saímos de cabeça erguida - com certeza nós viremos mais preparados na próxima.”
Para ficar sabendo sobre a chegada de um novo mapa no Free Fire e muito mais, fique ligado no Esports GG.
João Vitor Costa
João Vitor Costa
Editor | Twitter @Nenaojao
Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.