LOUD garantiu a segunda colocação na sua primeira participação internacional

Depois de uma campanha para lá de épica, a LOUD deslizou e perdeu sua partida de revanche contra a OpTic Gaming. Mesmo com o resultado triste, os resultados colhidos pela equipe brasileira são históricos. Lembrando que a LOUD é uma equipe com pouco mais de 3 meses de criação. Ou seja, se com pouco tempo já chegou na Grande Final internacional, imagine com mais tempo?

Ao todo, foram apenas 3 mapas jogados e um placar de 3-0. Mesmo ficando sem os banimentos, por ter vindo da chave inferior, a OpTic fez um trabalho de leitura bem importante. Confira como foi a fase de pick e ban dos mapas:

  • LOUD bane Split e Fracture
  • LOUD escolhe Ascent
  • OpTic escolhe Bind
  • LOUD escolhe Breeze
  • OpTic escolhe Icebox
  • LOUD escolhe Haven

Antes mesmo do jogo começar, os jogadores norte-americanos haviam dito em entrevistas que deveriam jogar mais agressivos e neutralizar certos jogadores, como o Less e Saadhak.

Na Ascent, que foi o mapa que a LOUD tinha conseguido fazer uma boa pontuação, acabou sendo neutralizada. A OpTic leu muito bem as execuções dos adversários e venceu por 13-9. Na Bind, esperava-se uma partida melhor por parte da LOUD. A equipe brasileira acabou pecando em alguns momentos e acabou sendo engolida. O mapa foi para a prorrogação e a OpTic venceu por 14-12.

Para encerrar, a Breeze, que foi um mapa pouco jogado pela OpTic, serviu para mostrar como o Brasil não desiste. Mesmo tendo uma primeira metade complicada, a LOUD foi para cima e começou a fazer ataques fortes. Porém, sua derrota foi iminente. A OpTic foi a grande vitoriosa, depois de uma prorrogação, por um placar de 15-13

A LOUD volta ao Brasil com um gosto amargo, mas com os bolsos um pouco mais cheios. Sua premiação, da segunda colocação, foi de US$120 mil dólares (aproximadamente R$575 mil reais). Além disso, a equipe brasileira garante 500 pontos, que a deixa praticamente confirmada no VCT Champions.

Destaque da partida, entre LOUD e OpTic Gaming, foi para o yay – Reprodução: VALORANT Esports Brasil

Quem recebeu o grande destaque da série foi o yay. O jogador fez uma grandiosa partida contra a LOUD, impactando em todos os momentos. Toda a sua performance como duelista, jogando de Jett e Chamber, foi bem forte. Além disso, sua maestria com a Operator é algo que deve ser eternizado.


Lembrando que, a segunda etapa do VCT BR 2022 está praticamente de volta. Todas as equipes já foram definidas e estão prontas para mais uma fase de grupos. LOUD vai se juntar aos seus companheiros, buscando mais uma classificação para o VCT Masters e, quem sabe, um possível título.

Em Maio o VALORANT nacional volta com todas as forças. Porém, o nosso trabalho não termina por aí. Para ficar por dentro de todas as notícias do mundo dos Esports, fique ligado no Esports GG. Acesse o site, Twitter e Instagram e fique por dentro das últimas noticias do mundo do VALORANT.

Lucas Bauth -

Lucas Bauth

Lucas Bauth, redator e analista de Esports, com foco em jogos como Valorant, League of Legends e TFT.