O novo investimento da Team Liquid é no Brasil e com uma line recheada de títulos

Com um interesse cada vez maior no cenário brasileiro de Esports, a Team Liquid anunciou no início do mês uma nova line-up no país. Dessa vez, a Cavalaria entra no Brasil com uma equipe feminina de VALORANT. E não foi qualquer line-up. Isso porque a organização holandesa contratou todas as jogadoras da Gamelanders Purple. Assim, a Cavalaria já entrou no cenário com a equipe que se destacou durante 2021.

Para entender mais sobre isso, o Esports GG Brasil analisou o histórico da Gamelanders Purples, bem como da organização norte-americana e conversou com o Operational Manager da Team Liquid Brasil, Rafael Queiroz para falar sobre o impacto da chegada da Cavalaria no cenário feminino de VALORANT no país.

Liquid e o VALORANT

Equipe da Team Liquid, no VALORANT – Reprodução: VALORANT Esports

A nova line feminina de VALORANT não é o primeiro time da organização no jogo. A Team Liquid está também na região europeia, EMEA. Com uma equipe formada por jogadores vindos do Counter-Strike, a line é composta por Soulcas, L1NK, ScreaM, Jamppi e Nivera.

Durante o ano de 2021, a Team Liquid atingiu resultados medianos, conseguindo, no final, chegar à Champions. Suas participações internacionais aconteceram em dois momentos, no Masters Islândia e no Champions. No Masters, a equipe ficou na quarta colocação, depois de perder para a Fnatic, por 2-0. Enquanto isso, no Champions, a Team Liquid foi eliminada pela campeã ACEND, ficando entre o 3o e 4o lugar.

Mesmo com a falta de títulos internacionais, pode-se dizer que a equipe possui um sistema tático bem consolidado. O estilo de jogo é bem único, conseguindo fazer um belo trabalho. Inclusive, pelo simples fato do time estar localizado numa das melhores regiões do mundo (EMEA), já ajuda bastante. Logo, fica fácil entender que uma organização conhecida como a Liquid apostar em uma line feminina no país ajuda a impulsionar a cena.

A nova equipe da Team Liquid, no VALORANT feminino brasileiro – Reprodução: Team Liquid BR

Porventura, esse foi um dos temas abordados com o Rafael Queiroz, no quesito do time feminino de VALORANT. A Team Liquid tem como foco oferecer tudo aquilo que as garotas necessitem, principalmente um bootcamp nos centros de treinamento da organização, tanto na América do Norte quanto no EMEA. Dessa forma, elas poderão treinar com a elite mundial nas regiões mais fortes.

“Se tudo ocorrer como o esperado, será um ano de experiência (2022) e grandes conquistas no circuito feminino e misto. Pretendemos levá-las para períodos de bootcamp fora do país em nossos centros de treinamento. Sabemos o quão importante é ganhar experiência neste período e entendemos que o primeiro ano será de muito aprendizado e adaptação. Todas elas têm grande potencial e o nosso desafio é fazer com que este potencial seja colocado em prática e melhorado sempre”, contou Queiroz.

2021 da Gamelanders Purple

Jogadoras na época que defendiam a camisa da Gamelanders – Reprodução: Gamelanders

No sentido prático, ao falar sobre as jogadoras, é necessário relembrar o 2021 da Gamelanders Purple. Isso porque o ano passado foi recheado de títulos para estas mulheres. A sua supremacia foi tanta que, ao todo, foram 12 competições vencidas, incluindo as duas maiores competições femininas nacionais, os Protocolos. Confira todos os títulos conquistados pelas ex-Gamelanders.

  • Protocolo: Gêneses – Qualifier 1
  • Sakura Ascent – Act 1
  • Gaming Culture – Girl Power #2
  • Protocolo: Gêneses – Qualifier 2
  • Protocolo: Gêneses – Qualifier 3
  • Rivals Women’s Cup #3
  • Protocolo: Gêneses – Qualifier 4
  • Protocolo: Gêneses
  • Protocolo: Evolução – Qualifier 1
  • SBT Games VALORANT All Stars
  • Protocolo: Evolução – Qualifier 4
  • Copa Rakin – Season 2
  • Protocolo: Evolução

E não para por aí. Daiki, uma das jogadoras da equipe, foi coroada como Jogadora Revelação e Melhor Jogadora do Ano, pelo Prêmio Esports Brasil. Isso só demonstra os motivos da Team Liquid ter voltado aos seus olhos para estas profissionais.

Daiki e os seus dois prêmios (Atleta Feminina Revelação e Melhor Atleta Feminina de 2021), durante o Prêmio Esports Brasil – Reprodução: ge

Por outro lado, diversos torcedores ficaram com dúvida sobre o processo de negociação das jogadoras. Todas elas estavam em contrato com a Gamelanders Purple, afinal, como foi a negociação para adquirir a line mais vitoriosa do ano encerrado?

“Nossas conversas com a Gamelanders foram extremamente tranquilas, amigáveis e dentro do esperado entre duas organizações profissionais que visam uma relação cordial entre empresas do mesmo nicho. Eles sempre foram muito transparentes e levaram o sonho do time em consideração e certamente valorizamos muito isso”, comentou Queiroz

De acordo com Rafael, a Team Liquid sempre está em busca de novas oportunidades, não importa o jogo e modalidade. A expansão da organização é algo bem visível, principalmente no Brasil, uma vez que a Cavalaria conta com lines nacionais também no Rainbow Six e Free Fire. O desejo de expansão no país já existia durante todo o ano de 2021.

“Estamos sempre de olho em todas as modalidades possíveis, mas uma série de fatores nos fazem tomar a decisão de entrar ou não em um jogo. Esse time particularmente estava em nosso radar durante todo o ano de 2021. A Gamelanders fez um trabalho incrível com a estrutura para que as jogadoras dominassem o cenário nacional. Além disso, a forma como a Riot cuida do competitivo de Valorant fez total sentido para investirmos nessa equipe”, finaliza.

O que muda com a Liquid no VALORANT BR?

Equipe da Team Liquid BR, daiki, naxy, nat1, bstrdd e naxy (esquerda à direita) – Reprodução: Team Liquid BR

Com os motivos elencados acima, é natural enxergar que o investimento da Liquid em uma equipe feminina forte movimente todo o cenário nacional. Claro que, neste caso, é necessário também elogiar a Riot pelo investimento no cenário feminino do VALORANT.

Não é de hoje que jogadoras de diversas modalidades flertam com a possibilidade de migrar para o VALORANT. Isso porque a desenvolvedora do jogo investe em campeonatos próprios, além de circuitos femininos na modalidade. Logo, ao anunciar um campeonato mundial feminino de VALORANT, a Riot atestou que leva com seriedade o cenário.

Consequentemente, o VALORANT feminino nacional virou uma opção viável para quem sonha em ser jogador profissional. Aliás, até mesmo algumas jogadoras aposentadas de outras modalidades voltaram à cena. É esse o caso de pan, ex-jogadora de CS:GO, que anunciou uma volta da aposentadoria para competir no VALORANT. Mas qual o papel da Liquid nisso tudo?

Bem, temos uma desenvolvedora que aparentemente acredita no cenário feminino para 2022. Junta-se a isso o fato de que a Cavalaria, que é uma das maiores organizações de esportes eletrônicas do mundo, também comprou a ideia e investiu pesado na cena e temos uma fórmula para o interesse de investimento no VALORANT feminino crescer. Não à toa, somente neste ano já surgiram rumores de organizações nacionais gigantes, como FURIA e MIBR, interessadas em investir na modalidade.

Mas Rafael aponta que o planejamento da Team Liquid deve jogar o padrão para cima, uma vez que planeja levar as garotas para bootcamps. Além disso, existe a vontade delas competirem em todas as ligas do VALORANT, Game Changers e VCT. Ele até sonha alto com uma disputa interna.

“Daremos todo o suporte para que as jogadoras mostrem seu talento em qualquer competição. Jogaremos todas as competições relevantes, seja no circuito feminino ou misto. O VCT, claro, é um deles. Nosso objetivo é fazer com que as atletas realizem os seus sonhos e também queremos trabalhar um legado a longo prazo. Quem sabe uma final de mundial entre Team Liquid Valorant Brasil e Team Liquid Valorant EMEA? Nosso objetivo é levar essa equipe ao topo, um passo por vez, com os pés no chão, para chegarmos lá.”

Assim, 2022 promete para o cenário feminino de VALORANT e a entrada da Liquid pode ser apenas a ponta do iceberg. Caso a equipe mantenha o ritmo de títulos, assim como foi com a sua organização antiga, aliado ao fato de que a equipe terá uma exposição internacional, a cena brasileira é quem ganha.


Estreia da Team Liquid BR, na etapa classificatória do VCT BR 2022 – Reprodução: Team Liquid BR

Aliás, a Team Liquid BR já teve a sua estreia nas etapa classificatórias do VCT, começando com uma vitória por 2-0 na última quinta-feira (21).

Fique ligado no esports.gg e acompanhe todas as notícias sobre VALORANT.

Lucas Bauth -

Lucas Bauth

Lucas Bauth, redator e analista de esports, com foco em jogos como Valorant, League of Legends e TFT. Experiência em portais como Globo Esporte e passagem em times de esports.