O time feminino da SH falou sobre suas expectativas para 2022 em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (23).

O cenário feminino de Valorant no Brasil está vindo carregado de expectativas para 2022. O primeiro qualificatório para o VCT Game Changers começa hoje (24) e será disputado até o dia 27 de fevereiro. Um dos times confirmados é a Stars Horizon, equipe que recentemente anunciou o elenco que defendeu a Liberty ao longo de 2021. A SH conversou com a imprensa sobre as expectativas com o time para esse ano.

As expectativas para o VCT Game Changers em 2022 estão altas

A IGL da Stars Horizon, Diana “mittens” Trevisan, falou sobre o que ela espera do Game Changers esse ano.

mittens: As nossas expectativas são bem altas, na verdade. O nosso foco é ir para o Mundial. E como a gente é um time que está junto desde o último ano, o nosso objetivo é ir além do trabalho que a gente fez ano passado. Então, é se reorganizar obviamente, porque sempre tem mudança de comp, tem mudança no jogo também. Mas ao mesmo tempo, a gente quer ir além de todo o trabalho que a gente fez ano passado. Exatamente para conquistar os campeonatos do Game Changers e a vaga para o Mundial.

O primeiro mundial feminino de Valorant acontece em 2022

A Riot Games anunciou recentemente que irá realizar um mundial de Valorant para o cenário feminino. A desenvolvedora ainda não deu muitos detalhes sobre o torneio, mas a novidade animou muita a comunidade. Melissa “meL” Millena e mittens da Stars Horizon se mostraram muito empolgadas para disputar o torneio.

mittens: A gente já imaginava que teria um mundial. Porque o cenário estava muito bom, estava se desenvolvendo muito bem e o mundial seria a próxima etapa para o cenário feminino. Mas obviamente é o sonho de qualquer jogador profissional, jogar um mundial, ganhar um mundial. Então acho que é algo que hypou todo mundo do nosso time, acho que hypou todo mundo do cenário inteiro. Nosso time hypou muito com isso. 

A gente conseguiu colocar na nossa cabeça que não era só ganhar o Game Changers, sabe. Agora tinha algo a mais pelo que lutar e é ir para o mundial. Eu jogava CS:GO profissionalmente antes e eu nunca tive a oportunidade de jogar um mundial no CS. É um sonho, né. Então para mim é algo que eu vou visar bastante esse ano e que eu vou lutar muito para ir ao mundial, assim como meu time e é algo que nos deixa bem hypadas mesmo.

meL: A notícia do mundial nos deixa muito hypadas e acredito que todos os outros times. E acho que isso só instiga a gente a fazer o que for possível para conseguir a vaga e almejar mais metas ainda.

Stars Horizons vem focada no VCT Game Changers

Em 2021, foram realizados diversos campeonatos no cenário feminino de Valorant além do circuito Game Changers, que é o oficial organizado pela Riot Games. Com a Liberty, mittens e companhia participaram de alguns desses torneios. A jogadora disse que o time mudou sua rotina de treinos e deve focar no Game Changers em 2022.

mittens: A gente tinha sim um calendário bem apertado de campeonatos. Era mais ou menos um campeonato e meio por mês. E isso para um cenário competitivo é um calendário bem apertado. O que a gente obviamente gostou muito, porque eu acredito que essa é uma forma muito boa de incentivar o cenário competitivo a crescer. 

A gente deu uma mudada na rotina de treinos para a gente se adequar a isso, para a gente conseguir treinar melhor. Obviamente, a gente quer participar de todos os campeonatos, mas no meio do caminho é importante se preparar mais para o Game Changers, que é nosso campeonato principal.

Mas é uma rotina de treinos que a gente está pensando bastante, foi muito pensada pela nossa staff, pelo Naves e pelo Marlow. E que a gente está achando muito boa inclusive na preparação para esses campeonatos.

Jogadoras e staff do time feminino da Stars Horizon de Valorant – Foto: Reprodução/Stars Horizon

Mesma equipe, casa nova.

A Stars Horizon contratou a line up e a comissão técnica que defendeu a Liberty ao longo de 2021. A jogadora meL e o analista Naves falaram da experiência de trabalhar com a nova organização. 

meL: Acredito que o estilo de trabalho permanece o mesmo, porque a gente manteve a mesma line e mesma staff. Mas acredito que sim que a gente tenha certa vantagem por continuar juntas comparado a lines recém formadas.

Naves: Uma diferença que a gente sente deste ano em relação ao ano passado é que com o apoio e o suporte que a Stars nos dá, a gente consegue planejar e focar muito mais em nossos objetivos. Esse ano a gente consegue focar muito mais no mundial e no Game Changers do que a gente conseguiu ano passado. A gente jogou muitos campeonatos em sequência, a gente jogava quase dois campeonatos por mês, e isso pesou bastante. 

Ano passado a gente sentiu uma queda no Game Changers que fez falta na gente, a gente sentiu o cansaço. E esse ano a gente está se planejando mais para conseguir focar no Game Changers de uma forma que a gente consiga chegar no 100%. Então, além do nosso planejamento em si, aprendendo com o ano passado, a gente tem um grande apoio da Stars. A gente consegue realmente fazer isso e focar nos campeonatos que a gente acha importante para esse ano.

Para acompanhar todas as notícias sobre VALORANT, fique ligado no Esports GG. Acesse o site, Twitter e Instagram e não perca nada do mundo dos Esports.

João Vitor Costa -

João Vitor Costa

| Twitter: @Nenaojao

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.