O movimento ganhou força depois da Riot ter revelado detalhes sobre o primeiro torneio internacional do Game Changers

Após a Riot Games anunciar novos detalhes sobre o mundial de VALORANT feminino, a comunidade se mobilizou em busca de mais vagas para o torneio. A competição contará com oito times no total, e só haverá uma vaga para o Brasil. Por outro lado, a região da América do Norte e o EMEA (Europa, Oriente Médio e África) terão duas vagas, enquanto LATAM, SEA (Sudeste Asiático) e APAC (Ásia-Pacífico) também ficaram com apenas uma. 

Uma das vozes mais fortes do movimento é a jogadora da B4 Angels, Taynah “tayhuhu” Yukimi. Em seu Twitter, ela considera a decisão da Riot como injustiça e enfatiza a força do cenário feminino de VALORANT.

“Nunca fui de me calar em nenhuma injustiça. Lembrando que não estou aqui reclamando pelo BR ter uma vaga e sim pela injustiça com o cenário feminino ter menos vagas que o masters. Não era igualdade? O cenário feminino do VALORANT é um dos maiores que tem!”

A partir deste comentário, várias jogadoras e personalidades do cenário também se manifestaram contra o pequeno número de vagas com a hashtag #12slotsgamechangers. 

Em comunicado, a Riot informou que o mundial de VALORANT feminino será realizado em Berlim, entre os dias 15 e 20 de novembro. O torneio terá o formato de eliminação dupla e irá acontecer presencialmente. A Riot também informou que o critério para distribuição de vagas analisou a competitividade e base de jogadoras de cada região. Além disso, foi dito que serão divulgadas, em breve, informações sobre a definição da vaga para o mundial.

Fique atento ao esports.gg para as últimas notícias e atualizações do VALORANT.

João Vitor Costa -

João Vitor Costa

| Twitter: @Nenaojao

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.