Em entrevista exclusiva ao Esports GG Brasil, o streamer falou sobre seus projetos e perspectivas para esse ano.

Gustavo “Baiano” Gomes é um dos maiores streamers do Brasil e conta com uma comunidade fidelizada no cenário de League of Legends. Ele já fez de tudo um pouco ao longo da sua carreira, tanto como jogador profissional, como criador de conteúdo. Recentemente, o influencer entrou em um hiato da carreira, onde ficaria mais fora dos holofotes, para se dedicar à vida pessoal.

Entretanto, Baiano sentou para conversar com o Esports Brasil sobre seus próximos passos, além de projetos que tem para o ano de 2022. O streamer ainda compartilhou o aprendizado que teve com situações que viveu no ano passado.

Diversos projetos em 2021 e pausa em 2022

Foto: Divulgação/Baiano

Em 2021, Baiano abraçou o mundo quando se fala na produção de iniciativas. Ele abriu uma hamburgueria chamada Baiburger, inaugurou um talkshow, fundou a Só Agradece, sua organização de esports, e ainda continuou tocando seus projetos de stream. Em 2022, ele decidiu tirar o pé do acelerador para cuidar da própria saúde. O streamer falou sobre esse período e seu atual foco.

“2022 é um ano para cuidar de mim e da minha saúde. 2021 foi um ano de muito trabalho e conquistas, mas eu precisava parar um pouco e buscar o equilíbrio para me manter saudável e isso me fez avaliar muito todos os projetos realizados. Eu gosto de olhar para trás e ver tudo que construí, mas sou muito crítico com o que faço e sinto que ainda não alcancei a excelência.

Mesmo achando tudo que fiz fod#, acho que posso fazer melhor, então arrisco dizer que o proximo projeto sempre vai ser o melhor da minha carreira. Esse ano, meu foco é manter o Baianalista como uma referência para os fãs do LOLzinho, voltando um pouco até às minhas raízes e focar no Cebolão do fim do ano, que promete muitas surpresas.”

Como nasceu o CBOLÃO

Baiano
Imagem: Divulgação/Baiano

Um dos maiores projetos do Baiano é o CBOLÃO, um campeonato que reúne jogadores profissionais, streamers e destaques da fila ranqueada. Uma das características mais interessantes do torneio é o fato do mesmo ajudar causas beneficentes por meio da arrecadação de doações. Baiano falou sobre a motivação para criar a iniciativa, comentou sobre a ausência da edição do meio do ano, mas prometeu novidades para o Cbolão do fim de 2022.

“O Cbolão surgiu da vontade de criar algo pra comunidade como um todo, desde dar oportunidade pros jogadores que passam toda temporada querendo jogar com seus amigos de outras equipes, passando pela comunidade que fica ‘orfã’ na época de férias do CBLOL e chegando na necessidade dos games de usar sua força para ajudar causas sociais.

Infelizmente não vou conseguir fazer a edição de meio de ano pelo momento que tirei para cuidar da minha saúde, mas já estou preparando uma  super festa para o final do ano. Certamente com muitas novidades, mas só posso contar mais pra frente para não dar spoiler, o que posso garantir é que vamos causar!”

Baiano no cenário de Wild Rift

Time de Wild Rift da Só Agradece – Foto: Reprodução/Baiano

Uma das grandes novidades de Baiano em 2021, foi a fundação da Só Agradece, organização de esports que atuou no cenário de Wild Rift. No período em que ele geria a org, Baiano falava sobre como tinha uma visão que outros donos de time não tinham. O streamer falou um pouco mais sobre o assunto na entrevista.

“Sem dúvidas, ser pro player me fez ter uma visão diferenciada sobre como deveria ser uma organização, principalmente do lado do que é bom pra quem é jogador. Vi muitas situações em que eles eram apenas peças e pra mim era muito mais uma questão de fazer diferente, pensando neles. Mesmo que meu foco sempre tenha sido performar e ganhar títulos, nunca esqueci das dificuldades que enfrentei e de que tipo de apoio e incentivo os jogadores precisam para estarem focados e trazer seu melhor desempenho no competitivo. 

Coisas básicas como poder falar abertamente sobre o jogo, como agir em véspera de um jogo importante e até como aproveitar seu momento de distração para conseguir desempenhar melhor no futuro são coisas que fazem total diferença e quem já foi atleta teve que aprender isso.”

Com a pausa nos projetos, a Só Agradece deixou de atuar como time. Mas os jogadores que fizeram parte da sua line se integraram em outros times na temporada de 2022. Durante o Wild Tour, o campeonato brasileiro de Wild Rift, Baiano celebrou que todos os seus ex-players tinham conseguido se classificar aos playoffs do torneio. Quando perguntado o que isso significava para ele, Baiano diz que a sensação foi semelhante a de um pai orgulhoso.

“Acho que me senti meio um pai orgulhoso. Saber que escolhi de forma correta e a dedo cada um deles e dei oportunidade para todos eles ali, pra construir uma carreira, me deixou muito feliz e confiante já que minha visão sobre as pessoas e o competitivo se provou no curto e no longo prazo. Fazer a diferença na vida das pessoas é um mantra, algo que aprendi que temos que praticar não só profissionalmente. Por mais romântico que seja, ver eles ali, saber que fiz parte desta história é um daqueles momentos que me fazem ter certeza que estou no caminho certo para o que quero da minha vida.”

Podemos esperar Watch Parties do CBLOL no futuro?

Live do Baianalista – Foto: Reprodução/Baiano

As Watch Parties de campeonatos são modelos de transmissões muito populares dentro da comunidade de esports e a Riot, inclusive, já cedeu direitos das transmissões do VCT e Wild Tour para streamers. Quando perguntado se achava que esse movimento poderia se estender ao CBLOL, Baiano pontua que seria positivo se o público tivesse outras opções para assistir o torneio e que a comunidade iria se fidelizar mais ao cenário.

“Hoje acho que o modelo do CBLOL é baseado nas transmissões tradicionais e deve seguir assim ainda por um bom tempo, até pelo modelo como o cenário foi estruturado, mas é importante ver o streamer como um todo e a importância que ele ganhou como uma plataforma dentro da mídia em geral. A partir do momento que o consumo das pessoas está muito mais no online e menos nos meios tradicionais, acho que é natural uma desenvolvedora do porte da Riot avaliar em multiplicar sua transmissão com “watch parties”. 

O impacto COM CERTEZA seria muito positivo em todas as esferas, existe uma porcentagem gigantesca do público que prefere consumir o conteúdo de uma forma diferente e mais voltada para o entretenimento e que iriam se fidelizar muito mais ao cenário e a comunidade se essa opção fosse facilitada.”

A responsabilidade de ser um comunicador

Ao longo da sua carreira como produtor de conteúdo, Baiano já chegou a se envolver em algumas polêmicas por coisas ditas nas lives. Uma delas envolvia Luiz “Telas” Drumond, hoje jogador da RED Canids Academy. O streamer disse que, graças a este erro, ele entendeu seu poder como comunicador e que atualmente se preocupa com o tom dos seus comentários.

“Sou uma pessoa em formação, estou sempre aprendendo. Hoje entendo o poder que tenho como comunicador e influenciador. Não vou parar de criticar ou de brincar com jogadas ‘diff’, mas sem dúvidas o ‘tom’ não pode ser o mesmo. 

Respeito muito cada um dos player que estão jogando tanto o CBLOL como o Academy, já fui pro e sei o quão difícil é essa vida, são horas intermináveis de treinos em busca do seu sonho então posso dizer que aprendi a analisar e comentar de forma que seja bom pra todos. Não vou deixar de dar minha opinião, mas hoje avalio seu impacto para que ela seja algo que agregue no geral“, finaliza Baiano.

Fique ligado no Esports GG para as últimas notícias e atualizações do mundo dos streamers.

Filed Under
João Vitor Costa -

João Vitor Costa

| Twitter: @Nenaojao

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.