O mid laner da Omegha conversou com o Esports Brasil depois de vencer seu primeiro compromisso no mundial de Wild Rift

A Omegha fez sua estreia no Icons Global Championship 2022 com vitória contra a Buriram United. Ao contrário dos outros times brasileiros na competição, a OMG já estava garantida na fase de grupos por ter se sagrado campeã brasileira da primeira etapa do Wild Tour 2022. Ao fim da série contra o time tailandês, o mid laner da Omegha, Patrick “suitS” Castelanno, conversou com o Esports Brasil.

SuiS conta que não esperava uma vitória tão tranquila na estreia e também disse que o bom resultado dá confiança para o time nos próximos jogos. “É indescritível. A gente não esperava que ia ser uma série tão tranquila quanto foi. Começar o mundial assim é surreal, isso dá muita confiança para os próximos jogos”.

suitS campeão da primeira etapa do Wild Tour 2022 – Foto: Foto: Bruno Alvares e César Galeão/Riot Games

No ano passado, suitS foi vice-campeão pela Só Agradece na primeira edição do Wild Tour e por isso não pôde disputar a Horizon Cup, o primeiro torneio internacional oficial de Wild Rift. Neste ano finalmente conseguiu vencer o campeonato brasileiro e se classificar para o Icons 2022. O jogador conta que estar lá é um sonho realizado.

“A sensação é de um sonho, que foi prolongado por muito tempo, e está sendo realizado. Tanto que na conversa que a gente teve antes do jogo, falamos ‘aproveitem o momento porque a gente sonha com isso há anos’. É a descrição mais perfeita para a situação.”

O próximo compromisso dos brasileiros é contra a FPX, time que venceu a última etapa da liga chinesa de Wild Rift. O confronto promete ser difícil, já que o último campeão mundial foi um time chinês, a Da Kun Gaming. Mesmo assim, SuitS diz estar confiante de que a Omegha pode sair com a vitória.

“A gente treinou bastante com times chineses, só não treinamos com eles (FPX) em específico, porque somos do mesmo grupo. É um choque, o estilo de jogo deles é bem diferente, mas a gente até que tem performado bem. Nós ainda não treinamos contra nenhum time que foi campeão, então vamos ver como vai ser jogar contra o melhor time chinês. Mas eu acho que tem como ganhar.”

Jogadores da Vivo Keyd – Foto: Bruno Alvares e César Galeão/Riot Games

Além da Omegha, Vivo Keyd e Liberty também se classificaram para o mundial de Wild Rift para representar o Brasil. A VK acabou eliminada na fase de entrada depois de ter mudado os atiradores (Rodrigo “Slash” Monteiro entrou no lugar de Maick “NoMercy” Barbosa), mas a Liberty conseguiu passar para a fase de grupos. SuitS deu sua avaliação sobre a campanha dos conterrâneos no Icons.

“A VK pegou um grupo muito difícil e como eles tiveram mudança de atiradores, eles demoraram para se encontrar com o Slash. Tinham composições que eles jogavam antes que eles não estavam conseguindo encaixar agora. Eles tentaram se adaptar em pouco tempo e acho que não encaixou tão bem. Já a Liberty eu acho que foi uma surpresa bem positiva. Eles estão jogando muito bem aqui, todos os jogos que eles tiveram até agora foram bons e espero que eles continuem assim”.

Ao ser perguntado se os times brasileiros tinham chance de ser campeões nesta edição do Icons, SuitS afirma que é possível. “Eu acho que tem como ser campeão, sim. Para ser sincero, teve time que a gente enfrentou que, aparentemente, pareceu estar em nível acima. Mas acho que no momento, na hora do jogo, quando tudo acontece, tem como ganhar.”

Jogadores da Omegha – Foto: Reprodução/Riot Games

Ao final, suitS garante que a Omegha irá continuar mostrando bons resultados e que o objetivo é ser campeão do Icons. “Podem esperar o mesmo estilo que a gente sempre mostrou que nós sabemos jogar e que vem dando certo. Nós vamos lutar muito para trazer vitórias e esse título, porque eu sei que o brasileiro gosta disso”.

Fique ligado no Esports GG para notícias e atualizações de Wild Rift.

João Vitor Costa -

João Vitor Costa

| Twitter: @Nenaojao

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.