Toda a equipe da Red Canids deu entrevista após a conquista do título do CBLOL.

No último final de semana, a Red Canids se sagrou como a grande campeã do segundo split do CBLOL. A equipe liderada por TitaN chegou aos playoffs sem grandes expectativas e surpreendeu a todos quando chegou a grande final, ocasião em que venceram a Rensga pelo placar de 3×1. Neste final de ano, a Matilha ainda representará o Brasil no Worlds 2021, o Mundial de League of Legends.

Depois de se sagrar campeã, a equipe da Red Canids deu entrevista coletiva e os jogadores comentaram diversos tópicos, como as expectativas para o Mundial e os principais fatores para a conquista do título.

Jojo, o suporte da Red, comentou sobre o momento mais difícil desta etapa para a equipe, quando o treinador esloveno Phaxi chegou para reforçar a equipe.

Eu acho que o momento mais difícil deste split foi quando a gente chamou o Phaxi para o nosso time. A gente estava muito perdido sobre a gente, sobre o nosso time em si, sobre como a gente queria fazer as coisas. Nós trouxemos ele, ele nos ajudou no que a gente precisava, mas depois de um tempo as ideias começaram a ficar muito diferentes de novo, aí ele teve que sair do time por conta disso. Mas, eu diria que ali foi nosso maior problema como um time, a gente não tava se encaixando, não tava dando certo absolutamente nada e ali foi o momento mais difícil do split pra gente.”

titan
Jojo, suporte da Red Canids – Foto: Bruno Alvares

Quando perguntado qual outro time gostaria de enfrentar na final, Aegis, o caçador da Matilha, optou pela paiN Gaming, equipe de BrTT e campeã da primeira etapa deste ano. 

“Acho que a paiN. A paiN era o time mais forte, que o CBLOL inteiro ficava falando, e acabou que a gente foi para outra chave. Então, eu queria ter jogado a final contra a paiN, porque eu também queria ter jogado os playoffs contra o Flamengo e Vorax.”

titan
Aegis, caçador da Red Canids – Foto: Bruno Alvares

Já o topo Guigo deu sua avaliação sobre qual teria sido o principal fator para a Red Canids ter alcançado o título. 

“Acho que para mim foi a mecânica mesmo. Acho que o resto do CBLOL não é muito bom na mecânica, eles não manjam muito de como jogar a lane, de como jogar a team fight individualmente falando. Então, acho que só por nós sermos melhores nisso a gente ganhou o jogo. Depois que a gente entendeu como funciona melhor o mapa a gente só ganhava os games na mecânica mesmo, porque eles não sabiam fightar e a gente entendia mais do jogo.”

Guigo também acha que o diferencial mecânico da Matilha será a peça chave para a equipe no Mundial.

“Eu acho que os outros times que foram lá para fora não tinham esse fator no jogo deles, agora a gente tem. E acho que assim que a gente engrenar nos treinos contra os times mais fortes lá de fora e ver que tem jogo contra eles, a gente consegue bater de frente.”

cblol
Guigo, top laner da Red Canids – Foto: Bruno Alvares

Grevthar foi a grande revelação deste split do CBLOL, o jogador da divisão de base da Matilha subiu para o time principal já nos playoffs e foi essencial para que a sua equipe vencesse a competição. Ele falou um pouco sobre sua trajetória.

“Eu fico grato, porque foi me dada uma oportunidade e eu sinto que eu abracei ela com todas as minhas forças. Eu sou grato a todos os meus companheiros de equipe e aos donos da organização por terem confiado em mim, e sei que correspondi às expectativas.”

“Eu acho que isso vem muito do meu perfil, eu gosto de me encaixar em tudo que a equipe precisa. Eu vi que eles precisavam desse tipo de perfil e eu tentei me encaixar de acordo com ele. Eu senti que eu tinha qualidades para exercer isso, de acalmar, de estar do lado, de dizer que hoje é nosso dia. Eu sei que eu tenho esse tipo de qualidade, então não foi nenhuma surpresa para mim, e deu no que deu.”

cblol
Grevthar, mid laner da Red Canids – Foto: Bruno Alvares

Com seus 21 anos, TitaN é o jogador mais experiente do elenco, o jogador levantou a taça do CBLOL duas vezes em 2018 vestindo a camisa da KaBuM, e também representou o Brasil internacionalmente pela organização. Assim como muitas equipes brasileiras que foram para o exterior, a KaBuM não foi muito bem no MSI ou mesmo no Mundial. O atirador da Matilha relembra esse período e aponta os motivos para os resultados inexpressivos.

“Primeiro falando da KaBuM, acho que a nossa line não era tão boa mecanicamente. E para ser sincero, o Brasil evoluiu, querendo ou não, a gente está tendo muito mais contato com as pessoas de fora, então está muito mais fácil de chegar aos ensinamentos. Naquele tempo, eu acho que se eu não tivesse cometido os erros que eu cometi, talvez o resultado teria sido diferente. Eu acho que não tem como eu falar porque eu não vejo futuro, eu não podia ver o que ia acontecer.”

Com a Red Canids conquistando a vaga para o Worlds 2021, após vencer o CBLOL, TitaN terá mais uma chance de ir bem em palcos internacionais. Ele comentou sobre o que espera de seu time na competição. 

“Mas, agora falando mais da Red em 2021, com certeza a nossa expectativa é muito grande para ir bem no Mundial, porque a gente tem uma line-up muito boa mecanicamente falando e a gente sempre teve uma amizade muito boa em grupo, e o nosso processo de evolução tá sendo muito bom em conjunto. 

Acho que o Coelho tem total mérito disso. Querendo ou não, ele é uma pessoa que trabalha com seis pessoas e ele lida de uma forma que ele faz parecer fácil, e é um cara só trabalhando na staff. Muitas pessoas reclamam falando ‘ah, ter só uma pessoa na staff é difícil’, mas ele sozinho busca meios com que ele possa ser ajudado da melhor forma e eu acho que ele faz esse grupo rodar de uma forma muito boa por esse fator. Então, eu tenho uma expectativa muito grande, eu acho que todos nós temos, de ir bem lá fora no Mundial e ter uma campanha muito boa.”

TitaN, atirador da Red Canids – Foto: Bruno Alvares

O treinador da Red Canids, Coelho, falou sobre como a organização aposta nos jogadores novos da sua base.

“A Red foi a primeira org do Brasil a ter um academy de fato. Foi no início de 2018, tinha o Aegis, o Guigo e Avenger, tinha também o Piloto que agora está no Miners jogando bem, e já passou pela Red Academy o Trigo, que estava agora na final, a gente trouxe o Grevthar no início de 2019. Então, isso mostra para os outros times que fazer um projeto a longo prazo dá muito bom, dá certo e também é mais barato. Inclusive, eu acredito que pegar gente mais nova é muito melhor do que apostar nos mesmos nomes, porque eles vem com mais vontade. Geralmente, eles tem mais mecânica e acho que a gente trabalha muito bem com eles, a org no geral trabalha muito bem com jogadores mais novos. 

O treinador também falou sobre o estilo de jogo da Matilha e a preparação da sua equipe para os playoffs do CBLOL.

“Bom, acho que tem vários jeitos de jogar LoL, mas especificamente a gente jogar mais agressivo é muito bom para essa line-up. Nos playoffs inteiro, sinceramente, eu acho que foi diferença de preparação nossa em relação aos outros times. Eu não sentia que nenhum time estava preparado para jogar contra nós e acho que todas as séries foram muito fáceis. Eu achei inclusive que hoje ia ser 3×0 e achei que contra a Vorax seria 3×0 também. Contra o Flamengo foi a única que eu achei que ia ser difícil, mas aí o Ranger falou que eles estavam tiltados, então era pra ter sido três 3×0.”

Coelho, treinador da Red Canids – Foto: Bruno Alvares

A Red Canids será a representante do Brasil no Worlds 2021, o Mundial de League of Legends. O torneio, que antes seria sediado na China, agora será realizado na Islândia, entre 05 de outubro e 06 de novembro.

Fique ligado no esports.gg para as últimas notícias e atualizações de League of Legends.

João Vitor Costa -

João Vitor Costa

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.