O Esports GG Brasil preparou uma lista com os melhores torneios deste ano.

2021 foi um ano diferente para o mundo dos esportes eletrônicos. Por causa da pandemia do Covid-19, diversos campeonatos ainda aconteceram de forma online ao longo do ano. Ainda assim, tivemos disputas memoráveis e o retorno gradual ao presencial só elevou os ânimos do público. O Esports GG Brasil preparou uma lista com os melhores campeonatos de 2021 – aqueles que ficarão na nossa memória.

League of Legends – Worlds 2021

EDG, campeã do Worlds 2021 – Foto: Reprodução/Riot Games

O Mundial de League of Legends é o campeonato mais importante do calendário competitivo do jogo e um dos mais importantes dos esports. O torneio reúne as melhores equipes do mundo para disputar o cobiçado título de Campeão Mundial. A edição deste ano aconteceria na China, mas a Riot optou por realizá-la na Europa, afim de evitar problemas com restrições de viagens causadas pela pandemia.

Neste ano, o Brasil foi representado pela RED Canids, equipe que voltou ao CBLOL depois de passar dois anos na segunda divisão nacional. A Matilha trouxe um elenco que estava apenas estreando na elite do cenário competitivo, e surpreendeu ao conquistar o título da segunda etapa de 2021. Porém, o time acabou sendo eliminado ainda na fase de entrada do Worlds pelos australianos da PEACE em uma série melhor de cinco (MD5).

O Worlds 2021 também trouxe muitas surpresas. A eliminação precoce da FunPlux Phoenix pegou todos de surpresa, assim como a classificação da Cloud9 que estava no chamado “grupo da morte”. Além disso, presenciamos a volta da T1 de Faker ao Worlds e a intensa e memorável série conta a DWG Kia nas semifinais.

Por fim, a EDward Gaming justificou certo favoritismo e foi a grande Campeã Mundial após vencer a DWG Kia em uma série MD5 extremamente disputada. Os chineses sempre chegaram bem nas edições do Worlds, mas essa foi a primeira vez que o time reivindicou a Taça do Invocador – na ocasião, o midlaner Lee “Scout” Ye-chan faturou o prêmio de MVP da final.

VALORANT – Champions 

Troféu do Valorant Champions – Foto: Reprodução/Riot Games

2021 também foi o ano da primeira temporada competitiva oficial de VALORANT, FPS da Riot Games lançado em 2020. O jogo foi abraçado pela comunidade de forma rápida, e o reflexo disso foi a grande quantidade de campeonatos que a modalidade recebeu ao longo do seu ano de estreia. Isso ajudou a pavimentar o cenário competitivo e torná-lo vivo e orgânico como é atualmente.

Vimos as melhores equipes do mundo se encontrarem pela primeira vez no Masters Reykjavík, que teve a Team Vikings e a Sharks representando o Brasil. Os brasileiros não chegaram muito longe no campeonato, mas trouxeram toda a experiência para fortalecer nossa região. Ao fim do torneio, a Sentinels conquistou o título com uma campanha dominante

Em seguida, os times voltaram a se enfrentar em palcos internacionais no Masters Berlin e, dessa vez, Vivo Keyd e Havan Liberty representaram o Brasil. A Sentinels chegou como grande favorita, mas deu adeus cedo à competição vencida pela Gambit.

Tudo isso nos levou até o VALORANT Champions. Na ocasião, três times brasileiros disputaram o evento internacional, uma vez que a FURIA conquistou sua vaga ao vencer o Last Chance SA e Team Vikings e Vivo Keyd se classificaram graças a pontuação conquistada ao longo do circuito. No Mundial vimos o crescimento do cenário nacional e as melhores atuações brasileiras em palcos internacionais de VALORANT.

As equipes brasileiras mostraram que não estão muito atrás do nível apresentado pelas melhore do mundo. Ainda assim elas não conseguiram ir muito longe: a VKS foi a que chegou mais perto de alcançar os playoffs, mas foi impedida pela poderosa Gambit. Os russos mais vez marcaram presença na grande final, mas acabaram derrotados pela ACEND por 3-2.

Free Fire: LBFF 4 

Fluxo campeão da LBFF 4 – Foto: Reprodução/Garena

Cada vez mais consolidado, o cenário de Free Fire mostrou mais uma vez sua força em 2021, tanto no engajamento da comunidade, quanto no nível competitivo das equipes nacionais. A primeira etapa do torneio no ano foi a quarta temporada da Liga Brasileira de Free Fire, que teve a chegada do Fluxo como grande novidade.

A organização foi criada por duas das maiores personalidades no cenário nacional: Nobru e Cerol. Nobru fez história em sua temporada de estreia pelo Corinthians, ao conquistar a Free Fire Pro League Season 3 e, logo em seguida, o Free Fire World Series (FFWS), mundial da modalidade realizado no Rio de Janeiro em 2019.

Nobru e companhia chegaram para a disputa da LBFF 4 e, logo de cara, conquistaram o título do campeonato mais importante do cenário brasileiro. A conquista garantiu a vaga da equipe para o FFWS Singapura, ocasião em que a LOUD também marcou presença após conquistar o vice-campeonato nacional. Os brasileiros chegaram como favoritos, mas a tailandesa Phoenix Force surpreendeu com uma campanha praticamente perfeita e levantou a taça – a LOUD ficou com o vice, enquanto o Fluxo com o quarto lugar.

Rainbow Six Siege: Six Invitational 2021

NiP campeã do Six Invitational 2021 – Foto: Reprodução/Ubisoft

Em 2021, o Brasil se consolidou como a melhor região do mundo no Rainbow Six Siege, FPS Tático da Ubisoft. Isso ficou claro após os três títulos brasileiros em palcos internacionais ao longo do ano, mas o maior deles foi o Six Invitational 2021.

Primeiro é preciso voltar um pouco no tempo para entender o significado da conquista. Em 2020, a Ninjas in Pyjamas foi a equipe nacional que chegou mais longe no Six Invitational. Com uma campanha excelente, a NiP disputou a grande final contra os norte-americanos da Spacestation Gaming, mas acabaram derrotados por 3-2 após abrir 2-0 – foi uma virada história que deixou um grito preso na garganta dos brasileiros.

Mas a equipe retornou à competição e se redimiu com uma bela conquista sobre a Team Liquid na grande final. O time brasileiro fez uma campanha perfeita, chegando na decisão após eliminar todos os seus adversários na chave superior. A conquista foi apenas o início de um ano de ouro do Brasil na modalidade.

CS:GO: PGL Major Stockholm 2021

Navi campeã do PGL Major 2021 – Foto: Divulgação/PGL

O calendário competitivo do Counter-Strike é repleto de torneios ao longo de todo o ano, mas nenhum alcança a magnitude de um Major. A edição deste ano realizada em Estocolmo marcou o confronto das melhores equipes do mundo do FPS da Valve na busca pelo título mais importante da temporada.

Este ano o Brasil se viu representado no torneio por quatro equipes pela primeira vez, que foram a FURIA, paiN Gaming, GODSENT e Sharks. Os últimos três não apresentaram a melhor das performances, mas mesmo assim mostraram bons momentos na competição. Mas quem realmente se destacou foram os Panteras. Primeiro porque chegaram com o status de Legends, e por isso já começaram na segunda fase do torneio.

Os Panteras foram muito bem no Legends Stage e conseguiram se classificar aos playoffs de forma emocionante depois de bater a Entropiq. Todavia, a FURIA não conseguiu vencer a Gambit nas quartas de finais e foi eliminada pelo placar de 2×0 em série MD3. No fim das contas a Natus Vincere de Oleksandr “S1mple” Kostyliw conquistou o título do Major depois de vencer a G2 também por 2×0 em MD3.

CS:GO: GC Masters Feminina IV

Imagem: Divulgação/Gamers Club

Este ano também tivemos a quarta edição da Gamers Club Masters, um dos principais torneio do circuito feminino de Counter Strike: Global Offensive. O torneio contou com a presença dos times MIBR, FURIA, W7M, Black Dragons, Cruzeiro e AORUS Vision. Esta GC Masters foi o último grande campeonato femino da modalidade.

Na grande decisão, a FURIA levou a melhor em cima do MIBR pelo placar de 2×1 em série MD3. As Panteras abriram a série na Ancient com um 16×14, mas o MIBR empatou o confronto ao aplicar um sonoro 16×6 na Inferno. No fim das contas, a FURIA fechou a série com 16×12 na Nuke e garantiu o título.

Fique ligado no esports.gg para as últimas notícias e atualizações do mundo dos esportes eletrônicos.

Filed Under
João Vitor Costa -

João Vitor Costa

| Twitter: @Nenaojao

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.