Coach e jogadora da Tropa falam como um gamer do dia a dia pode se tornar profissional.

Não há dúvidas que o Free Fire é um dos jogos mais populares dos últimos tempos, com mais de 1 bilhão de downloads ao redor do mundo. Muitos jogadores sonham em se tornar jogadores profissionais para unir o hobby de jogar e o trabalho. O coach do time masculino da Tropa, CapGui, e a jogadora Mikaely “Mikax” Leite, capitã da equipe feminina, dão dicas para aperfeiçoar seu jogo e começar a se destacar.

“Para virar jogador profissional é preciso aprimorar sua jogabilidade, comunicação, agilidade, assistir campeonatos importantes e streamers do competitivo e aprender com os melhores. A rotina é variável, pode mudar de acordo com os treinos e campeonatos,” disse Mikax. “Você consegue se tornar um profissional sem uma organização, mas é necessário treinar bastante e se destacar em campeonatos menores para chamar atenção dos times e coachs”.

Mikaely “Mikax” Leite – Foto: Divulgação

O coach da Tropa, CapGui, ressalta que é necessário dedicação e a perseverança no início, e o segredo é não desistir. “Existem muitos jogadores profissionais que jogam campeonatos amadores, com um time aleatório, e também participam eventos tipo 1×1 e 4×4. Assim podem fazer seu nome e eventualmente conseguir chamar atenção de uma grande organização”, afirmou.

A rotina de um jogador profissional de Free Fire é bem puxada, segundo Mikax, é bem variável, pois depende dos treinos e das competições que a equipe está ou irá disputar. CapGui afirma que o dia a dia é o mesmo de uma pessoa que trabalha em outra área, entrando às 9h e indo até 18h30 ou 19h todos os dias.

CapGui – Foto: Divulgação

“A pessoa que sonha em ser tornar um jogador profissional tem que ter em mente que não é apenas jogar, mas sim se dedicar 100%. Não é apenas treinar o dia inteiro, temos discussão de estratégia, assistimos as partidas anteriores para enxergar pontos a melhorar e vemos as quedas dos nossos adversários. Então, não é uma rotina fácil e tranquila, como muita gente pensa, porém o que vemos é que os jogadores são felizes e sempre querem se aperfeiçoar. O jogador profissional veio para ficar como profissão e logo poderemos ter cursos específicos para quem deseja viver disso”, concluiu CapGui.

Filed Under
Giuseppe Carrino -

Giuseppe Carrino

Editor, redator, tradutor e entusiasta de jogos hardcore. Joga a série Souls desde antes disso virar moda.