Confira como o cenário mundial de esportes eletrônicos foi afetado até o momento.

Na madrugada desta quinta-feira (24), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, autorizou uma operação militar no leste da Ucrânia. Além de todas as possíveis implicações geopolíticas, vimos toda a repercussão no cenário de esports mundial, uma vez que algumas das maiores organizações e jogadores do mundo vêm da Rússia e Ucrânia.

S1mple e Asuna comentaram a situação

Por exemplo, a Natus Vincere, um dos melhores times do mundo de CS:GO e campeã do último Major da modalidade, conta com três russos e três ucranianos em sua equipe. Um deles é Oleksandr “s1mple” Kostyliw, eleito o melhor jogador do mundo de Counter Strike: Global Offensive em 2021.

Nesta madrugada, o jogador ucraniano comentou a situação do seu país em um post no seu Twitter: “Minha cidade está sendo bombardeada”. Além disso, o player de Valorant Peter “Asuna” Mazuryk, que tem dupla cidadania americana e ucraniana, prestou solidariedade ao povo da Ucrânia.

Organizações de esports demonstram apoio à Ucrânia nas redes sociais

Hoje (24), várias grandes organizações de esports demonstraram apoio à Ucrânia. Muitas delas mudaram as tonalidades de seus logos para as cores da bandeira ucraniana como gesto de solidariedade. A Natus Vincere, inclusive, publicou um comunicado dizendo o seguinte:  

“A Rússia atacou a Ucrânia. Agora vivemos hostilidades que tiram a vida humana e destroem o destino do território do nosso país. É impossível fingir que está tudo bem durante uma guerra. Estamos devastados. Nosso principal objetivo agora é tentar manter a calma e cuidar de nós mesmos, de quem amamos e de quem precisa de ajuda. Estamos nessa juntos e juntos passaremos por isso.”

Algumas das orgs que aderiram ao movimento foram: MIBR, Imperial, Ninjas in Pyjamas, BIG, G2 e Astralis. 

Times brasileiros no leste europeu estão voltando ao Brasil 

A Imperial, de Gabriel “FalleN” Toledo e companhia, está voltando do bootcamp na Polônia mais cedo do que o esperado. O mesmo vale para o MIBR, que também estava treinando no país. A Made in Brazil ainda disse que irá disputar o RMR do Brasil.

Team Liquid se dispõe a abrigar jogadores em suas instalações na Holanda

Também vimos a Team Liquid se disponibilizar para receber qualquer jogador, seja da Cavalaria ou não, para se abrigar em suas instalações na Holanda. Victor Goossens, fundador e Co-CEO da organização, falou sobre a iniciativa em seu Twitter.

“Nós estamos de coração partido com o que está acontecendo na Ucrânia. Esta manhã, recebemos um pedido de um jogador que não é da Liquid e está preso em outro país e não podia viajar para casa. Abriremos nossos apartamentos na Holanda para ele e qualquer um de nossos amigos ou colegas em situação semelhante”.

Enquanto isso, os organizadores da IEM Katowice 2022, torneio de CS:GO que está acontecendo na Polônia, informaram que não vão interromper o evento. Vale lembrar que a Polônia divide fronteira com a Ucrânia. 

Fique ligado no esports.gg para as últimas notícias dos esports. Siga o nosso Twitter e Instagram para mais novidades do mundo dos esports.

Filed Under
João Vitor Costa -

João Vitor Costa

| Twitter: @Nenaojao

Estudante de jornalismo. Começou recentemente na cobertura de esports e é especializado em League of Legends. Também se aventura no Wild Rift, Valorant e Legends of Runeterra.