Fnatic se afastou de sua história sueca no CS com a assinatura da ex-dupla da Cloud9, ⁠ALEX⁠ e mezii. Isso abrirá novas oportunidades a equipe, que agora terá falantes da língua inglesa.

A Fnatic se tornou agora um time internacional com a chegada de Alex “⁠ALEX⁠” McMeekin e William “⁠mezii⁠” Merriman. Isso marca a segunda mudança da organização para longe de uma formação sueca em mais de 16 anos no Counter-Strike. Eles já haviam assinado uma escalação dinamarquesa em 2012, com jogadores como Andreas “⁠Xyp9x⁠” Højsleth e Finn “⁠karrigan⁠” Andersen. 

A queda da Fnatic

Outrora a maior equipe que já jogou CS: GO, a Fnatic foi o time que mais venceu majors antes da Astralis aparecer, incluindo o primeiro de CS: GO. Desde então, a Fnatic tem estado entre as melhores equipes do mundo, com a superestrela sueca Jesper “JW” Wecksell sendo o rosto do elenco por quase 8 anos. Assim que foi divulgada a notícia de que Wonderchild estava sendo colocado no banco, os fãs sabiam que grandes mudanças estavam por vir.

Desde o início da “era online”, a Fnatic tem lutado para encontrar uma forma consistente. Eles foram capazes de reivindicar a vitória na décima primeira temporada da ESL Pro League, mas estão em queda livre no ranking desde então. Nos últimos 16 meses, eles conseguiram se classificar em apenas quatro semifinais em eventos principais. Além disso, eles caíram para a posição #60 no ranking mundial da HLTV, apesar de serem uma equipe parceira do ESL Pro Tour.

Para os fãs da equipe, uma mudança era necessária, mas muitos se perguntaram se a organização havia se tornado complacente ao escolher outro jogador sueco, como Peppe “⁠Peppzor⁠” Borak, para ser o 6º jogador. 

Assinando com ALEX e Mezii

ALEX e Mezii foram os melhores jogadores da fatídica escalação da Cloud9. Quando a organização se afastou do CS, todos especularam sobre os próximos passos de ambos. A mudança de Mezii veio em abril, quando ele se juntou à Endpoint, enquanto ALEX continua como agente livre há 4 meses.

Na Endpoint, Mezii foi de longe o melhor jogador e tem dominado o tier-2 com uma pontuação de 1,22 nos últimos 3 meses. Apesar de ter sido um elemento de suporte na Cloud9, ele fez a transição para uma função de hard carry na Endpoint. Com um estilo de jogo versátil e a  experiência anterior com ALEX, foi óbvia sua contratação como parte da escalação.

ALEX, por outro lado, é um líder que teve seu ponto alto com a Vitality. Mas ele não teve a oportunidade de replicá-lo desde então. Com a Vitality, ele liderou a seleção francesa ao segundo lugar do mundo. Ele se estabeleceu como um dos melhores IGL para muitos no jogo. No início de 2020, ele se afastou após declarar esgotamento por viajar pelo mundo. 

“Estou honrado por estar me juntando a uma equipe tão lendária como a fnatic, tenho a sorte de me juntar a um grupo de jogadores e equipe incríveis que compartilham o objetivo comum de trazer o fnatic de volta ao topo. Mal posso esperar para começar!”

Alex “⁠ALEX⁠” McMeekin.

Ele foi então escolhido como o jogador para liderar o projeto Colossus da Cloud9. Mas a instabilidade do elenco combinada com o fim rápido da mesma significava que ele estava impossibilitado de desenvolver a química do elenco e criar uma equipe de ponta. Desde então, ele ficou novamente fora do cenário profissional enquanto esperava por outra oferta para um time. Agora ele finalmente voltou para uma equipe com uma nova chance de criar seu legado. 

Fnatic Go International Brollan
Créditos: Bart Oerbekke e ESL

Futuro internacional da Fnatic

Este elenco internacional será um grande teste para as maiores peças da equipe, Brollan e ALEX. Para Brollan, esta será a primeira vez em uma competição internacional. O jogador é um jovem superstar, apontado como um grande futuro desde sua entrada no cenário em 2018. Ele se tornou um dos melhores do mundo quando jogou com Maikil “Golden” Kunda Selim em 2019. Ele ficou em 15º lugar no top da HLTV de 20 jogadores de 2020.

Em 2021, no entanto, ele foi uma estrela em uma equipe envolvida pela escuridão, mantendo uma classificação igual a 1,10 este ano. Seu braço direito, o sempre consistente Freddy “KRIMZ” Johansson, também caiu individualmente conforme sua equipe foi piorando. Para ambos, esta é uma grande oportunidade de voltar ao topo.

ALEX também terá que fazer esse trabalho em equipe se quiser mostrar que é um IGL de nível 1. Se ele conseguir fazer essa equipe funcionar, ele ascenderá novamente ao topo do jogo tanto como jogador quanto como IGL. Conforme o CS: GO retorna aos eventos de LAN, um IGL de ponta é um grande diferencial, assim como Karrigan mostrou no IEM de Cologne.

Para a Fnatic, isso também desbloqueia possíveis movimentos futuros, pois agora eles têm acesso ao mercado internacional de jogadores. Se algum jogador não funcionar, eles podem facilmente trocá-lo por um monte de outros jogadores. Isso permite que eles recrutem de seu elenco acadêmico, onde Iulian “regali” Harjău tem parecido dominante com a AWP.

Fnatic jogará na décima quarta temporada da ESL Pro League no Grupo C contra NaVi e Faze. Fique de olho na nossa prévia do evento. 

Elenco da Fnatic no CS: GO:

  • Freddy “⁠KRIMZ⁠” Johansson.
  • Jack “⁠Jackinho⁠” Ström Mattsson.
  • Ludvig “⁠Brollan⁠” Brolin.
  • Alex “⁠ALEX⁠” McMeekin.
  • William “⁠mezii⁠” Merriman.

Fique ligado em esports.gg para as últimas notícias e atualizações de CS: GO.

Tradução: Alexandre Silva

Arnav Shukla - Writer of the Month: July

Arnav Shukla

Writer of the Month: July | Twitter: @xL_csgo

I am a hardcore Counter-Strike fan who loves to watch and write about CSGO. A student of the game's history and a bad player in game.